Novas abordagens de ecologia e conservação: diversidade filogenética e funcional de anfíbios e serpentes da Mata Atlântica brasileira

Nome do Pesquisador: Ricardo Jannini Sawaya

Agência de fomento: FAPESP

Vigência: 09/2016 à 08/2018

Outros Colaboradores:
Alba Navarro Lozano (aluna de Doutorado)
Bruna Espinosa Bolochio (aluna de Mestrado)
José Thales da Motta Portillo (aluno do Doutorado)
Leo Ramos Malagoli (aluno do Doutorado)
Leonardo Matheus Servino (aluno do Mestrado)
Marcela Brasil de Castro Godinho (aluna do Doutorado)
Maria Carolina Rodella Manzano (aluna do Mestrado)
Matheus Pontes Nogueira (aluno de Iniciação Científica)
Rodrigo Abud Quagliano Bolsista (aluno de Mestrado)
Sarah Arruda Bolsista (aluna de Iniciação Científica)
Thiago Alves Lopes de Oliveira (aluno do Doutorado)
Thiago Augusto Pires (aluno do Doutorado)

Resumo: Compreender os principais fatores estruturadores da biodiversidade é um dos principais desafios da ecologia. A partir de avanços teóricos e analíticos recentes da ecologia de metacomunidades, é possível testar múltiplos processos estruturadores, incluindo os biogeográficos, ecológicos e neutros. A diversidade de espécies é frequentemente tratada como uma propriedade representativa da estrutura de comunidades e mais amplamente de metacomunidades. Em relação à diversidade de espécies ou taxonômica, análises sobre diversidade filogenética (componente da história evolutiva) e diversidade funcional (conjunto de atributos funcionais) de uma comunidade possibilitam avaliações mais objetivas sobre a sua estrutura. Outros aspectos importantes para melhor compreensão da estrutura e status de conservação da biodiversidade são os declínios e extinções de populações causados por doenças. A quitridiomicose causada pelo fungo Batrachochytrium dendrobatidis é considerada atualmente uma das maiores ameaças para os anfíbios em todo o mundo. Mas pouco se sabe sobre as suas relações com a história natural, evolução e distribuição de anfíbios. Outros fatores preocupantes e relativamente pouco estudados no Brasil são os efeitos da perda de habitat e fragmentação florestal. As serpentes também são organismos modelo para estudos ecológicos e são bastante sensíveis à modificação de habitats naturais. A Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos em biodiversidade, porém um dos mais devastados e ameaçados no Brasil. Acredita-se que sua alta riqueza de espécies e endemismo de anfíbios e serpentes estejam relacionados à sua heterogeneidade estrutural. Este projeto propõe analisar a diversidade de espécies, a diversidade filogenética e a diversidade funcional de anfíbios anuros e serpentes da Mata Atlântica brasileira e seus possíveis fatores estruturadores, avaliar o estado de conservação destes grupos e propor diretrizes e critérios adicionais para conservação da biodiversidade.

Entre em contato

Bloco L - 3° andar

Avenida dos Estados, n° 5001

Sta. Terezinha - Sto. André - SP

CEP: 09210-580

Email: propes@ufabc.edu.br

 

Telefones

Gabinete: 3356-7614

Administrativo: 3356-7620/7618

IC: 3356-7617/7619

CAP: 3356-7620/7616/7615

Propes-SBC: 2320-6150/6151

CEM-SA: 4996-0028

CEM-SBC: 2320-6176

Biotérios: 3356-7511